RAPSÓDIA SOBRE O AMOR


Não espere colher flores onde não há esperanças, Há um deserto de ideias imerso em nossas conversas, Preciso entender até aonde podem ir as lembranças, Atormentadas por nossas dúvidas, paixões adversas, Que sem entender muito o porque desafia a sanidade, Oferecendo uma última chance ao nosso melhor roteiro, Onde o enredo escolhido é a procura da verdade, E as nossas escolhas serão sempre a nossa melhor defesa.

Assim que o entardecer da vida chegar, O amor fará seu próprio julgamento, Expondo as somas de todas nossas ações e pensamentos , Trazendo enfim á tona nosso melhor despertar. Acredite, o que vem depois será só luz, Irá sumir a hipocrisia, a intolerância e a estupidez, Descobriremos então de novo o que será melhor pra nós dois, Nos entregando a cada sentimento com avidez, Fazendo de cada segundo os mais incríveis de nossas vidas, E assim vamos caminhar por aí entre flores e rosas, Ouvir e assoviar nossas canções preferidas, Nos entreter com nossas histórias já quase esquecidas, Vamos nos preparar pra sermos felizes mais uma vez. Você precisa explicar pro tempo que ele é nosso melhor amigo, E que de agora em diante a tristeza é passageira, O acaso será só mais um episódio antigo, E ao virar a página se tornará apenas uma rapsódia de Homero, Esclarecendo as odisseias que pelas nossas vidas são escritas.


Destaque
Tags
Nenhum tag.
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W