MISCELÂNEA DE IDEIAS

A história é a mesma de ontem ,

Mas vividas em separado,

Sons nos mostram o caminho a seguir,

E o que vem de longe nos une.

E o que vem de perto percorre nossos cantos,

Invadindo nosso passado ,

Invertendo as ideias originais ,

E fazendo de nossos planos algo a ser vivido.

Talvez se não vivermos a chamada,

O amor será perdido e ficaremos soltos no espaço,

Resolvendo a nossa origem, a primeira intenção,

E de quando em quando vem um grito,

Que lá das estrelas clama por ajudar,

E que interage com o pulsar das nossas incertezas,

Indo de encontro com nossas crenças .

Os nossos elementos se aglutinam,

E abraçam as nossas crianças,

A nossa herança do pó das estrelas,

A força que trafega no eterno compasso.

E diante do infinito obscuro,

Percorro todo o pensamento,

Procurando em todos os lados,

O que me faz forte e sagaz.

O dia das sementes da imaginação será eterno,

Lembrança de nossos pais que nunca se esqueceram do amor.

Águias de brancas plumas sem o calor do amor

Que ficaram com o alento da mulher do Condor ,

Suspiros entrelaçados pelas escamas da serpente,

Que rastejando entre o veneno e o antídoto,

Quis trazer pra si a responsabilidade,

De nunca atravessar a morte sem passar pela vida .

A mordida da maçã no espaço sideral,

Sem moral e esperança monumental,

Permitiu a passagem do táxi setentrional.

16/11/21

Destaque
Tags
Nenhum tag.